Finalmente en España!

10/8

Pela fresquinha arrancámos com destino a St Jean Pied de Port. Percurso que, pensávamos nós, teria cerca de 100 km, de acordo com as medições feitas pelo Guia Micheli, mas que após concluído se confirmou ter cerca de 122 (mais de 7 horas a dar ao pedal, de acordo com o conta quilómetros do Jorge)!

Hoje o calor já se fez sentir com força, dificultando o percurso, e alguém andou a “engelhar” o TERRENO! Um sobe e desce constante, algumas subidas bem íngremes e bem compridas a atrapalhar, mas já está feito!🙂

Belo passeio, com paisagens  bonitas de montanha, visto que já andamos pelos Pirinéus bascos.

Mas valeu o esforço!! À beleza do percurso juntou-se a beleza da terra, e ainda a vivência jovial e muito própria dos caminheiros que a pé, de bicicleta ou em versão motorizada (muitas motas!), visitam e convivem de forma amiga e solidária neste posto importante da rota dos Caminhos de Santiago (ou Caminho de St Jacques)!

Claramente, recomendamos este “passeio”🙂

Amanhã, pela fresquinha, Espanha!!!!!!! Direcção Puente la Reina, destino… até onde derem as forças e a alma! Estamos agora em etapas de montanha, com dificuldades semelhantes à da nossa Serra! E em termos de distâncias, muito maiores do que uma “simples” subida à Torre e com declives muito consideráveis. Debaixo da torreira do Sol, e não esqueçamos, empurrando quase 50 quilos cada um, para além do prório peso!

11/8

O percurso de ligação entre St Jean Pied de Port e Puente la Reina, foi bem duro! Começou com uma subida de 25 km, para atravessar os Pirinéus, equivalente a duas subidas desde Manteigas ao centro de limpeza de neve. Em extensão e declives!

A “meio” do percurso encontrámos Pamplona, e fomos visitar a zona histórica, sentimos a alma dos bascos espanhois e petiscámos umas tapas com umas cañas bem geladas!

Vencida a subida inicial esperavam-nos mais cerca de 80 km, com algumas subidas adicionais, e com cerca de 25 km finais feitos debaixo de um sol abrasador, com temperaturas a rondar os 36 graus!

Amanhã segue-se a ligação a Nájera, passando por Logroño, e com esta etapa viramos os Pirinéus! O resto será um passeiozinho, debaixo de muito calor!

12/8

Como sempre, bem cedo, demos início à etapa que nos trouxe até Nájera. Uma cidade antiga e pequenina, no interior de Espanha, que já foi terra de reis! E onde, nessa condição, foram erguidos um convento e uma igreja, datados dos finais do século XV, que são hoje passagem quase obrigatória para os peregrinos de Santiago.

O percurso decorreu sem problemas de maior, descontado o calor que se fez sentir! Fizemos uma pequena  paragem em Logroño, e uma visita ao centro histórico, ou “casco antiguo”, como dizem os espanhois, que, cumprindo a regra de Espanha, está muito bem conservado e cheio de vida! Valeu a pena a visita🙂

Chegados a Nájera, o primeiro passo foi encontrar um albergue para nos instalarmos. Cheios de sorte, na primeira vez que perguntámos demos com um  sítio óptimo, por um preço muito razoável!

Depois de uma visita pela zona ribeirinha e pelas ruas estreitas da área antiga da cidade, com a sua mística “mesclada” com uma certa comercialização maciça – mas que, mesmo assim, é um local a visitar – aqui estou, numa espalanada junto ao rio, aproveitando a frescura da água e escrevendo esta pequena crónica😉

Amanhã seguimos em direcção a Burgos, ou talvez até Hornillos del Camiño, onde terminará o nosso périplo pela Rota dos Peregrinos de Santiago de Compostela. Depois, seguimos para sudoeste, em direcção a Tordesillas, Salamanca, Ciudad Rodrigo e claro, Covilhã!

Faltam já menos de 600 km e muito poucos dias de viagem para terminar esta aventura!!🙂

Abraços e beijinhos,

João

Este slideshow necessita de JavaScript.

Esta entrada foi publicada em A caminho. ligação permanente.

5 respostas a Finalmente en España!

  1. Tiago Esgalhado diz:

    Ora viva mais uma vez. Agora que isso já está quase, não queria deixar de comentar que penso que nenhum de nós que temos acompanhado este périplo (sem desprimor para os restantes leitores do blogue) é capaz, por mais que o leia, de ter uma noção das dificuldades da empreitada. E digo isto ao fim de passar 3 ou 4 dias num dos países que atravessaste (dinamarca), onde não se percebe nada do que está escrito nem do que os indígenas dizem, e onde pude verificar que é possível percorrer grandes distâncias rurais, por estradas “secundárias”, com pouco ou nenhum movimento. Do que ontem vi, ao sobrevoar uma boa parte da Dinamarca, dá para fazer muitos kms no meio do campo, sem grande companhia (um ex-ministro de Portugal diria que era o deserto, mas muito mais deserto que em Portugal…). Multiplicando isto por n países…
    Parabéns e um resto de boa viagem! E comam umas boas tapas e uma boa paella…

  2. A longa aventura, está quase no fim. Força e boa sorte para a semana final. Até Breve.

  3. Força e boa continuação; sábado encontramo-nos entre a Covilhã e a Guarda… espero que mais próximo da guarda que da Covilhã

  4. Nilza diz:

    Portugal está já “ao virar da esquina”!🙂

  5. Carlos Miguel Oliveira diz:

    Parecia uma viagem tão grande e já estão quase a acabá-la. Mas decerto vão ter muito que contar. Só tenho pena de não estar cá no dia 20 para ver o culminar de tão grande façanha. Abraços.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s