Holanda – parte II

Este slideshow necessita de JavaScript.

22/7

Decididamente, andar de bicicleta na Holanda não é fácil! (…e quem diria, para um país que é conhecido pelo amor ao ciclismo!) Hoje continuou a confusão! ehheeh🙂

O percurso em si, era agradável, mas sem nada que mereça especial relevo, salvo algumas localidades marítimas que fui atravessando, e que, com a sua rusticidade própria e algumas zonas de passeio marítimo muito bonitas, davam um toque de prazer que fazia esquecer as arrelias.

E por falar em arrelias, enquanto parei para ir à casa de banho num café, pelas 9h da manhã, e já com três horas de viagem, o casaco impermeável (como sempre fixo sobre os alforges, por causa da facilidade de acesso), desapareceu!! Até pode ter sido o vento, mas o certo é que o vento não levou as calças… Enfim, vicissitudes de quem se mete em aventuras destas! De qualquer das formas, isto obrigou-me a fazer um desvio, e a comprar um impermeável de substituição, numa loja de produtos para pesca.

A arrelia inicial já passou, e não quero pensar mais nisso!!🙂 Sem problemas de maior, cheguei ao destino, uma pequena localidade chamada Westerland, e ao Parque Wallenze. Não era um parque por aí além, mas enfim, pra terminar o dia, era o que havia. Na terra não havia restaurantes, pelo que tive de improvisar um jantar com base em pão, ovo cozido, presunto, e fruta. Ainda bem alimentado do dia anterior, em que aproveitei para comer bastante, esta refeição frugal acabou por ser suficiente!

23/7

Alvorada  bem cedinho e início do percurso pelas 6 da manhã!

Desde logo fartou-se de chover de noite, e a tenda estava bem molhada quando a arrumei. Não gosto nada, mas que remédio! Depois, ainda não tinha feito 15 km, começa a aventura! A estrada seleccionada não permitia a circulação de bicicletas, e assim, a rota do gps ficou toda baralhada! Toca de usar os mapas para reaferir percursos! De quando em quando mais uma ripada de água, pouca, mas sempre incómoda, tanto mais que o vento sempre manteve presença. Sorte que a direcção não era constante, pelo que às vezes tambem ajudava!😉

O percurso hoje era muito extenso, cerca de 120 km, que ainda aumentaram com as confusões dos trajectos, e com a decisão de alteração do destino, tomada em cima da hora, e que acescentou mais 10 km ao trajecto inicialmente projectado. Fiz muito perto de 150 km outra vez. Curiosamente, o corpo agora já não reclama este esforço. Claro que, de vez em quando sinto “alguma fraqueza”, normalmente depois dos primeiros sessenta km, e preciso de um reforço alimentar, por volta das 9h – 9h30. Outro pela hora de almoço. E depois é seguir caminho como se ainda não se tivesse feito nada!

Mas apesar de extenso, a etapa foi muito bonita e diversificado!! Durante o dia de hoje percorri troços ao longo de um dique e de alguns canais,  atravessei cidades e um Parque Natural (que percorri durante cerca de 30 km), e por fim tive ainda direito a um troço de cerca de 10 km entre as dunas e  o mar!

Um vendaval, que nem vos digo!!! Mas como o corpo vai quente…nem a chuva incomoda!! Estava prevista uma entrevista em directo para a RTP via Skype, para o programa Portugal sem Fronteiras, mas a chuva não ajudou e sendo assim, fica para a semana que vem!

Amanhã segue-se a última etapa interna na Holanda, em direcção a Westenschowen, ainda com mau tempo, e depois no dia seguinte, chegada à Bélgica, Oostende, onde já conto ter alguma ajuda de S. Pedro!🙂

Um abraço a todos, tem sido muito bom ler os vossos comentários!

João

Esta entrada foi publicada em A caminho. ligação permanente.

8 respostas a Holanda – parte II

  1. Pedro Silva diz:

    Gostei, particularmente, da “entrada” e “colaboração” da pesca nesta tua aventura😉
    Abraço,

    >>>>>>>«

  2. Olá grande aventureiro solidário, já há algum tempo não lia as tuas aventuras. Muito boas as descrições das etapas, e os postais que vais conseguindo fazer fazem-nos viajar um pouco. Continuação de boa viagem e quero mais destes textos sumarentos e apetitosos!

  3. Anabela Inácio diz:

    Olá João!
    Continuo a admirar a sua coragem solidária. Votos de continuação de boa viagem.
    Força!

    Anabela Inácio

  4. Graça Esgalhado diz:

    Podemos dizer à boa maneira portuguesa que “grão a grão enche a galinha o papo”. No teu caso, de cento e poucos a cento e poucos Kms vais alargando o percurso e vencendo o desafio. Os relatos e fotos deixam-me cheia de inveja, com vontade de passear por essa Europa fora, mas não de bicicleta!!! Continuação de boa viagem, com a ajuda de S.Pedro. Bjos
    Graça

  5. Pedro diz:

    Aos poucos… a coisa vai! Força que já estás em contagem decrescente!
    Um abraço

  6. António Batista diz:

    Boas João.
    Quando leio as tuas crónicas cada vez tenho mais inveja do que estás a fazer e também uma maior admiração pela tua coragem e paciência para nos contares tudo o que te vai acontecendo.
    Parece aqueles relatos da BBC sobre os acontecimentos da 2ª Guerra Mundial, embora neste caso, com menos trajédias e muito mais boa disposição. Continua com esse espírito. Cá estaremos no final para te dar um grande abraço.
    ABatista

  7. tuxa diz:

    Olá Joâo,
    Continuo a deliciar-me a ler as crónicas desta tua fantástica aventura!!!!
    Parece tudo tão fácil que até apetece ir pedalar contigo….ahahah!!!! ( só te faltava mais essa!!! )
    Continua com essa tua boa disposição e excelente forma fisica, que está quase… :)))
    Beijinho grande e cá continuamos a torcer por ti!!! :)))

  8. Ana Paula Vergamota diz:

    Continuação de boa viagem e muita força.
    Um abraço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s